Começou o Carnaval na Vila

O bloco “Banda 7” inaugurou o Carnaval de Rua na Vila Madalena, na tarde deste sábado (11.02), na esquina Rua Purpurina.

O trio elétrico da agremiação estacionou na esquina da Harmonia, por volta das 14h, fechando a Purpurina ao tráfego, e iniciando a folia no bairro.

Como o bloco não consta da relação oficial do desfile aprovado pela Prefeitura, não havia policiamento, agentes da CET e nem fiscalização contra os ambulantes clandestinos.

Com camisetas, banda e vendedores de bebidas próprios, o Banda 7 lotou de foliões o quarteirão da Rua Purpurina, entre as ruas Harmonia e Girassol (foto).

 

ASSALTO, TIROS E
PRISÃO NO BAIRRO

(Conteúdo: Estadão)

Helicóptero, motocicleta e carros da Polícia Militar cercando ruas, soldados fazendo buscas em casas e medo entre moradores. Às vésperas do carnaval, o assalto à casa de dois idosos na Vila Madalena, na zona oeste de São Paulo, paralisou o bairro que se divide entre pacato e arborizado de classe média, apinhado de guaritas de guardas noturnos, e o badalado centro da boemia da capital paulista.

Por volta das 14h30 desta quinta-feira, 9, três homens, dois portando facas (uma delas enferrujada) e um armado com um revólver calibre 38, entraram na casa de um casal de japoneses – ambos de cerca de 80 anos, segundo a PM – para praticar o assalto. Os idosos foram rendidos e os criminosos reviraram o sobrado, da Rua Hermes Fontes, em busca de dinheiro e joias.

Segundo testemunhas, o filho do casal, um jornalista, não estaria em casa na hora do crime, mas chegou no momento em que o trio estava lá. Ele teria tido tempo de chamar a polícia.

Os policiais que atenderam o caso disseram ter chegado à residência no momento em que dois dos assaltantes estavam saindo. Carregavam duas bolsas com os objetos da família. Eles tentaram fugir. “Deu para ouvir o barulho de dois tiros”, disse o vigia de uma das ruas ao redor da Hermes Fontes. A polícia diz que não houve troca de tiros – ninguém, nem as vítimas, ficaram feridas.

O helicóptero foi embora pouco depois das 16h. Depois desse horário, só três motociclistas da PM permaneceram na rua, já na esquina com a Deputado Lacerda Franco. Mas muitos dos vizinhos, parte deles também idosos, ainda estavam na porta das casas, conversando entre si sobre o crime.

“Teve um outro assalto aqui perto no domingo”, disse uma aposentada. “A polícia também prendeu o cara que tinha entrado na casa. A gente fica assustado, né? Ainda mais porque está chegando o carnaval, isso aqui fica lotado, e sempre tem gente que aproveita para entrar nas casas vazias”, afirmou.

Oficiais da PM que participaram da ocorrência confirmaram o crime do fim de semana e a prisão do suspeito.

Flagrante

O assalto foi registrado no 14.º Distrito Policial (Pinheiros). Na delegacia, a senhora japonesa vítima do crime, visivelmente abalada, era auxiliada pelo filho, que educadamente pediu privacidade e disse que não falaria com a imprensa.

Os policiais relataram uma sequência de fatos um pouco diferente da dada pelos moradores da Hermes Fontes. Os vizinhos e um segurança da rua disseram que o trio pulou o muro. Ainda colhendo as informações do caso, os policiais disseram que os assaltantes chegaram a tocar a campainha e renderam o casal ao serem atendidos.

Os rapazes presos são Ângelo Berato Santana e Alef Marques da Silva, ambos de 22 anos. Silva teria dito, ao ser questionado pelos policiais, que já havia sido preso pelo crime de roubo. Ele teria invadido um prédio para praticar um assalto. As vítimas também eram orientais, segundo os policiais disseram.

Nem Santana nem Silva tinham advogados na delegacia para apresentar a versão deles dos fatos à reportagem.

Na Rua Ministro Costa e Silva, paralela à Hermes Fontes, vizinhos relataram o caso de um casal de chineses, também de idade avançada, que tiveram a casa assaltada três vezes no ano passado. O imóvel deles está à venda.

Vila decidirá se quer Carnaval

Foi apoiada por unanimidade proposta da moradora Celina Dinitzen de realização de uma pesquisa entre moradores e comerciantes da Vila Madalena para ver se eles querem ou não Carnaval de Rua no bairro no próximo ano.

Encampada pela Prefeitura Regional de Pinheiros/Vila Madalena, o ‘plebiscito’ foi sugerido na reunião (foto) realizada na noite desta quinta-feira (08.02), quando foram discutidas medidas a serem tomadas nas festas carnavalescas  das próximas semanas.

A forma e a data de se fazer a consulta ainda não foram definidas. Mas o prefeito regional Paulo Mathias se comprometeu a encaminhar o assunto nos próximos meses.

No encontro, a Prefeitura informou que o quadrilátero a ser fechado deverá ser o mesmo do ano passado e confirmou a dispersão às 20h. Paulo Mathias, porém, não quis adiantar as medidas operacionais para efetivar a saída dos foliões depois desse horário: “É top secret”, justificou.

 

Tiroteio na Aspicuelta

Ocorreu um tiroteio na esquina das ruas Simão Álvares com Aspicuelta, por volta das 16h desta quinta-feira (09.02).

A informação foi passada pela moradora Carmen Busana, que presenciou o incidente.

Segundo ela, três PMs perseguiram, deram dois tiros (um atingiu), e prenderam 2 assaltantes.

“Saíram de camburão, mas todo o entorno está muito assustado”, contou ela.

 

Ordem e Progresso

Foto: G1
Em visita à Zona Oeste neste domingo (05.02), o prefeito João Dória Jr. declarou que a principal preocupação da Prefeitura neste Carnaval será a Vila Madalena.
 
Em rápida entrevista, disse que “não há rigor quanto à quantidade de pessoas nas ruas nos dias de folia” e que as negociações com blocos estão sendo feitas de forma “harmônica”.
 
Segundo ele, “o foco principal é a Vila Madalena, que precisa de um pouco de organização e disciplina”.