Hostel da Vila eleito melhor
do Brasil por saite irlandês

O Hostel Ô de Casa, localizado à Rua Inácio Pereira da Rocha, 385, ganhou prêmio de melhor do Brasil.

Essa premiação, batizada de “Hoscars”, é organizada pelo saite Hostelworld, importante plataforma irlandesa de turismo online.

O saite divulga uma lista de melhores hostels de vários países, baseado nas avaliações dos próprios hóspedes.

A premiação será realizada nos dias 29 e 30 de janeiro, em Dublin.

Representantes do Ô de Casa deverão ir à cerimônia.

 

Conteúdo: Catracalivre

Savima pede bom senso
para o Carnaval de Rua

Em carta entregue ao Ministério Público de São Paulo,  a Sociedade Amigos de Vila Madalena  (Savima) pediu bom senso às autoridades, no sentido de evitar degradação do bairro durante o Carnaval de Rua.

A carta  foi entregue por Cássio Calazans, presidente da Savima, ao promotor César Ricardo Martins, nesta terça-feira (22.01), durante reunião na sede do MP sobre os desfiles de blocos deste ano.

Representantes de outros bairros presentes ao encontro também alegaram prejuízos para o comércio das regiões, incômodo aos moradores, cassação do direito de ir e vir, sujeira e devastação.

Representantes de outros bairros também reclamaram da “desvastação”. Foto: MP

Eis a íntegra da carta da Savima:

“Exmo. Sr. 5º Promotor de Justiça de Habitação e Urbanismo da Capital de São Paulo. Dr. Cesar Ricardo Martins.

Prezado Promotor, fazemos aqui mais um pequeno relato dos fatos, da pura verdade desde da Copa do Mundo de 2014 até o último evento carnavalesco.

Carnaval, ah o carnaval!, um festival do cristianismo ocidental que ocorre antes da estação litúrgica da Quaresma.

Antigamente era gostoso, brincar o carnaval com respeito da época, onde o carnaval era realmente saudável, os de rua, os de salão e os de clubes.

Tinha regras, inclusive nos dias de carnaval, muito divertimento e descontração; mas os dias sempre foram: sábado, domingo, segunda e terça feira, depois já era quarta-feira de cinzas. Maravilhoso! Escolas de Samba no Sambódromo…Lindo espetáculo!

Agora inventaram um carnaval de rua para competir com Salvador, para ser o maior carnaval de rua do Brasil.

Muito Simples, São Paulo não está preparada para essa loucura de “O pré, O pré do pré, O carnaval, O pós, O pós do pós”,.

Resumindo: mais de um mês de folia, não pelos blocos, pois a maioria deles respeita os trajetos, horários etc …, mas falo especificamente da avalanche de pessoas que chegam na Vila Madalena, pois ficou conhecida no mundo.

É despejada aqui, através do transporte público, uma multidão, (a Vila tem um cinturão abraçado por quatro metrôs); é o local preferido de todos.

É algo simplesmente descabido de controle eficaz, fora os valores gastos para toda essa movimentação: deslocamentos de homens da Polícia Militar, CET, Prefeitura, GCM, contratação de segurança, etc… e ainda não é satisfatório, não dá conta, impossível.

Folia essa, que em bairros residenciais, dessa maneira, não cabe, sem a mínima estrutura de organização eficaz de contenção, pois essas pessoas não respeitam nem a polícia. Zero de respeitabilidade.

Falando especificamente de Vila Madalena, um bairro antes de qualquer nomenclatura que possam dar, é um bairro estritamente residencial, o desrespeito com moradores e comerciantes bate na casa de 100 por cento em qualquer planilha de estudos.

O público fiel do comércio durante o ano, nessa época some, desaparece, ficando somente o público consumidor de vendedores de rua.

Se não é bom para o comércio local, não é bom para o morador, não é bom para quem normalmente vem ao bairro, é bom para quem? Somente para ambulantes que invadem as ruas com venda de todo tipo de produtos.

Patrocinadores já estão em dúvida se é bom vincular a marca às atrocidades que ocorrem nos bairros.

A mídia digital, hoje, registra tudo e não mediremos esforços para mostrar o resultado degradante do que esse evento que dura mais de um mês deixa de legado (destruição) nas ruas, nas casas, nos muros, etc.

Já com verba é insuficiente toda a ação do poder público para conter essa megaoperação. A preocupação com a marca já ascendeu a luz amarela.

Torcemos para que o bom senso prevaleça e que os responsáveis pensem um pouco mais nas pessoas que visitam o bairro, no comércio local, nos moradores pagadores de seus impostos para que possam ter o direito de ir e vir.

Atenciosamente,

Cássio Calazans de Freitas
Presidente – SAVIMA”

Carnaval de Rua no MP

Será realizada nesta terça-feira (22.01), no Ministério Público, a audiência para acertar as medidas a serem tomadas durante o Carnaval de Rua na cidade de São Paulo, em geral, e na Vila Madalena, em particular.

Deverão comparecer representantes de moradores e comerciantes do bairro, dos blocos, da Prefeitura Regional de Pinheiros, da CET e da Polícia Militar.

O encontro será coordenado por César Ricardo Martins, Promotor de Justiça de Habitação e Urbanismo da Capital (foto).

O início da reunião será  às 14h, no auditório Queiroz Filho do MP,  Av. Brigadeiro Luiz Antônio, nº 35 – Térreo.

‘Novo’ na Prefeitura Regional

O advogado João Vestim Grande assume a Prefeitura Regional de Pinheiros/Vila Madalena no lugar de Juliana Ribeiro.

Juliana entrou em março de 2018 substituindo Paulo Mathias, que saiu para concorrer às eleições para deputado estadual pelo PSDB.

João Grande foi candidato a deputado federal pelo Partido Novo.

 

TracyLocke na Vila Madalena

Foto: Divulgação

A agência  TracyLocke concluiu na semana passada seu processo de mudança para a nova sede na Vila Madalena.

O espaço, construído pela Idea!Zarvos e idealizado pela Melina Romano Interiores , fica na Rua Girassol 275, e tem mil metros quadrados

Para o CEO da empresa no Brasil, Pipo Calazans, a nova sede é um marco na sua história:

“A casa nova é do tamanho do nosso sonho; a transformação do mercado exige que nossa agência se prepare e tenha uma cara nova, mais dinâmica, para que possamos enfrentar os novos desafios”, declarou ele à imprensa.

A TracyLocke tem mais 15 escritórios ao redor do mundo.

 

Conteúdo: Promoview